sábado, 21 de outubro de 2017

22....e a falsa-luz criou um deus à imagem e semelhança do homem (REPOSTAGEM)

O governo escuro, regido pelos reptilianos criadores da “hierarquia da falsa-luz” ambiciosamente, criou a religião e o holograma de um deus com estereótipo humano. Esse deus opressor, julgador e condenador “tem um trono lá no céu” e é o “pai e a deidade só dos humanos da Terra”, porque só o povo da Terra o louva e o adora.
Um deus absoluto que só o povo da Terra “reverencia”, mas não o viu, porém o adora e o invoca. Quer isso dizer, que o Universo é apenas a Terra e a Terra é o “centro universal de tudo e de todos,” e esse ‘deus’ é daqui, porque nenhum outro ser de outro planeta o conhece, ouviu falar ou o viu.
O termo “deus”, tanto quanto a bíblia criada por Constantino no ano 325 de nossa era e suas orações, tiveram suas consolidações no império romano nessa época. A origem etimológica do termo “deus”, é o Proto Indo-Europeu (língua antiga da India/Europa) onde “deiwos” era respeitado como uma deidade pagã. (é importante que se esclareça, que “pagão” era o povo que morava no “pagos=campo, em latim, e não aceitava as “imposições” da igreja). Mas ”deiwos” em verdade, foi um aldeão muito espiritual e não religioso,  um velho que nas aldeias ou deserto, contava suas histórias, lendas e fatos acontecidos até então.
No Latim o termo ganhou “vaidade” e passou-se a”divus”que era um cognome, alcunha ou epíteto dado aos imperadores de Roma “post-mortem”, com a pretensão de significar-se “divino”. Logo, a igreja é uma extensão do tirânico império romano, cujo primeiro papa foi o imperador Constantino, idealizador e criador de um “livro de normas” para conduzir o povo às privações e domínio.
Manifestaram os patriarcas da religião, que passaram a usar esse deus holográfico para limitar, intimidar e oprimir o povo da Terra, obtendo altos ganhos em dinheiro, objetos de valor, ouro,  imóveis... para  viverem na ociosidade e riqueza. Criaram então a igreja palaciana com o seu ardiloso dízimo e vastas ofertas, sem qualquer sustentabilidade na Ciência Espiritual Superior.

Esses mesmos patriarcas egoístas e despóticos, criaram, textualmente, uma infinidade de orações, doutrinas, versos, provérbios, máximas, adágios, ditados, refrões..., que acobertassem os seus interesses gananciosos e dominadores, e de lá pra cá, os séculos ficaram incumbidos da lavagem cerebral do povo, firmando, até que textualmente também, um ‘deus’ divino, de forma humana, que teve um filho unigênito, quando tudo não passa de um folclórico holograma.  Veja que “unigênito” significa, filho único ou único gerado por seus pais, quando a igreja, pretensiosamente, prega, que “somos todos filhos desse deus, quando, em verdade, fomos criados por extraterrestres geneticistas da Luz, sendo a Fonte Infinita a origem divinal de onde tudo provém.
Somos Luz Divina, criação dos nossos irmãos  geneticistas extraterrestres da Luz Divina e portanto, iluminados pela Fonte Infinita.  A nossa natureza é a Luz Divina, a liberdade, a expansão, o Amor Incondicional e o Crescimento Espiritual.Somos soberanos e nos governamos por nós mesmos. Não viemos à Terra, para levar vida de opressão, de fracassos, de limitação e domínio de seres pérfidos, buscadores da nobreza, criadores de uma deidade holográfica, que condena, que culpa, que julga, que cobra ardilosos dízimos e doações, que busca altos ganhos e que “sentado num trono de ouro”, oprime, comanda, reina sobre um povo e... que não existe.

A Fonte Central da Luz, O Grande Sol, é, divinalmente Soberana e real quando um holograma pode seduzir, e intimidar como tem feito ao longo dos séculos, mas engana e oprime, determina e escraviza.

O “deus” proclamado pela igreja e por todos os humanos terráqueos, é fictício, pérfido e infundado, porque o deus que a igreja divulgou, tem  aclamado e que muitos tem concebido, é o ‘senhor e mestre da criação, julgador e condenador’ e isso não é verídico. Esse perfil deste deus é uma concepção simulada, ilusória, mentirosa da igreja e representa uma deidade que tem caracterizado, falsa e profundamente, a formação dos humanos da Terra. As tradições religiosas seculares terrenas, vem iludindo, oprimindo, escravizando, limitando, amedrontando e aprisionando a todos os humanos terrenos, subjulgando e atrasando a evolução espiritual de todo o Planeta. Não há “deus” com essa formatação religiosa, senão o Amor Incondicional, a Fonte Infinita da Luz, a Existência, a Soberana Fonte,  que de lá tudo deriva, tudo provém...e não condena, não oprime, não faz precações e sequer “cobra” dízimos e doações.

A criação da raça humana terrena, foi obra dos Geneticistas da Luz Divina, extraterrestres da Alta Frequência da Luz, assistidos por tantos outros  Geneticistas Estelares.Todas as raças de todos os universos foram criadas por  Geneticistas Universais e mais raças e planetas tem sido criados pela infinidade afora dos Universos e não por esse “deus” holográfico anunciado e aclamado pela igreja.  
Cada um é responsável pela sua existência; não há vítimas!!! Somos soberanos e nos governamos por nós mesmos. Tudo é energia e tudo está interconectado. Pensamentos e emoções são energias alimentadoras que criam a realidade de nossas vidas.Por isso, pense "Amor Incondicional", pense "Luz" e busque "A Luz". Busque a recuperação de sua Consciência Divina roubada pelos “criadores do karma” da equipe da “hierarquia da falsa-luz”. (Veja o texto-mensagem nº 5 da série “Reencarnação Inconsciente” neste mesmo Blog com um modelo de revogação)..

Muitas civilizações terrenas inteligentes e evoluídas, como Atlantis, por exemplo, atingiram o ápice de sua evolução e a evolução de seu povo, por terem o Universo e a Natureza como a Fonte Suprema da Luz. Não aceitavam, absolutamente, as seitas, os dogmas e doutrinas, até que séculos depois, alguns ambiciosos, envolvidos pelo poder de dominação do povo, criaram a religião com seus, dogmas e hipocrisias. Inventaram textos e os pregavam, induzindo o povo ao medo e limitações. Daí, foi questão de tempo, algum tempo depois essas civilizações desapareceram pelos seus conflitos religiosos, anarquias e guerras ambiciosas como Atlantis, por exemplo.
Eu vivi em Atlantis como a tantos outros que estão aqui encarnados nesta existência.
                                                                               Informação consciente é Luz!!!
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)




terça-feira, 17 de outubro de 2017

122.A grande família espiritual.

A  Terra é o único planeta habitado por seres humanos, que cria e mata animais para comer e ainda os abate de forma cruel.Mas isso só acontece com os habitantes de sua superfície e não com os habitantes da intra-Terra, como Agartha, Badagas, Duat e Telos, por exemplo,  que inclusive, os têm em ótimas relações espirituais, e os próprios animais são vegetarianos, desconhecendo a selvageria. Os demais planetas que comem carne animal, são habitados por seres humanóides com arquétipos diferenciados.. Esses humanóides apresentam altíssimo desequilíbrio espiritual, desencadeando o descontrole emocional e a violência.
O comer carne animal, leva à síndrome do medo, o descontrole emocional, à violência e por conseguinte, às doenças físicas. Com o encarne/desencarne da Alma em busca de experiências vivenciadas no multiuniverso,  ela é parte integrante da imensa Família Espiritual, onde, por exemplo,  seu pai hoje, pode ter sido seu filho, irmão ou qualquer parente biológico em uma vida passada ou até mesmo um animal, como um boi, uma vaca ou qualquer outro animal nesta  existência atual, e que foi abatido  para saciar a vontade de comer carne  dos humanos da superfície, inclusive a sua.  
Os espíritos se encarnam em corpos humanos ou corpos animais, por suas  próprias opções, inclusive a de gênero sexuais e de famílias biológicas, para experienciarem  fatos, situações ou ações. Portanto, a Alma de um animal, seja lá qual for, é um espírito que pode optar-se por encarnar um corpo humano ou animal, dependendo da situação que achar-se conveniente para a sua  experiência. Matar um animal ou um ser humano, é desprover a Alma de experiências evolutivas vivenciadas.
É sabido, espiritualmente, entre o sábio Povo Lakota,  que o Animal de Poder de frente, na vida atual de alguém, é devido a um maior número de encarnações experientes com esse arquétipo. 

As árvores por sua vez, possuem Devas ou Elementais, que são sábios espíritos que nunca se encarnaram, apenas se envegetam por opção de fazer uma simbiose com o ser humano encarnado:  o gás carbônico pelo oxigênio e serem a mantenedora de mananciais da Mãe-Terra. São as co-mantenedoras da vida humana na Terra consideradas as Antenas de Conexão com o Cosmo.

"Somos a Natureza tanto quanto você é parte dela.Coexistimos pela dependência de um do outro. A nossa destruição é a sua destruição. Somos todos UM na Teia da Vida". Thunna Burnama 
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)

sábado, 14 de outubro de 2017

21.O abominável holocausto da igreja (REPOSTAGEM)

"Ser livre, não significa, unicamente, não estar preso numa cela,  mas também estar liberto das religiões, de seus dogmas, de suas doutrinas e de seus gananciosos pregadores, que iludem, limitam, oprimem, culpam, e aprisionam a humanidade com palavras vãs”.Thunna Burnama

Nabucodonosor conquista Israel no século II antes da chamada era cristã, e com isso, imigrantes hebreus foram se estabelecer na Península Ibérica* para fugir da futura opressão do conquistador. Houveram fortíssimas divergências da presença dos hebreus na península durante o domínio dos Godos, que os discriminavam severamente, mas ainda se podia dizer que havia uma “certa paz”, o que levou à muitos hebreus conquistarem posições de destaque no reino português.A grande maioria enriqueceu pela lealdade ao trabalho. Entretanto, após essa fase, já no século XV, mais precisamente em 1480, as relações dos hebreus com os cristãos se agravaram quando da chegada de cerca de 130 mil deles, que fugiam do holocausto católico na Espanha, que em nome de seu “deus”, da  ambição, da ganância e do poder, cometeram atrocidades assassinas jamais vistas até então.
É importante esclarecer, que os hebreus são povos trazidos por Jeová do planeta Azanúbio e que erroneamente foram chamados de judeus. Os verdadeiros judeus são da raça negra.

Uma  equipe maquiavélica de torturar, matar à sangue frio e confiscar bens,  formada por bispos e padres, foi chamada de “inquisição da igreja”, que formou um tribunal para saquear e supliciar jhebreus e suas famílias até a morte, por não aceitarem as imposições da igreja, que impunha sobre tudo e sobre todos. Foi algo terrível ! Assustador ! principalmente porque foi levada a cabo pela intimidadora religião que os menos-informados dizem sê-la “de deus”.
As pessoas eram trucidadas!!!  arrebentadas nas máquinas de matar!!! queimadas vivas!!! as máquinas arrebentavam as pessoas puxando seus braços e pernas até que se soltavam dos corpos !!! foi cruel!!! muito cruel!!!

Com o casamento arranjado entre dom Manuel I e a princesa Isabel, espanhola, filha dos reis católicos, foi então determinado a expulsão dos hebreus de Portugal, como já havia acontecido na Espanha. Já em 1496, a igreja portuguesa expediu uma ordem judicial ardilosa, determinando, que os hebreus que não deixassem o país em dez meses, perderiam todos os seus bens, para a igreja fossem eles quais e quantos fossem.. Isso veio a causar seríssimo constrangimento aos hebreus que já haviam criado raízes naquele país, e muitos, inclusive, tinham uma enorme lista de propriedades imobiliárias e...suas famílias.
Por determinação judicial, expedida por padres, bispos e todas as demais classes eclesiásticas, que passaram a ocupar cargos e funções judiciais, as crianças menores de 14 anos eram distribuídas pelas cidades e aldeias, longe dos pais hebreus, para que fossem criadas sob a “chibata da igreja católica”. Crianças eram tomadas à força, com  violência dos braços das mães sob gritos, choros, gemidos, súplicas e desespero dos pais, irmãos e parentes. Muitas famílias preferiam matar as crianças e suicidarem-se em seguida, o que causou muita satisfação e ânimo à igreja católica, por ver seus grandes cofres abarrotados de dinheiro, pedras preciosas e escrituras imobiliárias ensangüentadas, deles confiscados. Como os  hebreus são pessoas trabalhadoras, muitos deixaram verdadeiras fortunas que conseguiram angariar ao longo de suas vidas, que a maquiavélica igreja católica confiscou.
Em 1497, foi celebrada uma terrível manifestação de desrespeito e violência contra os hebreus, que foram levados por padres-oficiais à pia de batismo, arrastados pelos cabelos, à chutes e ponta-pés. Foram humilhados, violentados de toda forma, já oprimidos pela fome e maus tratos onde centenas deles já apresentavam, inclusive,  num quadro de demência pelas torturas insanas, fome e humilhações de todo o tipo, pelos bispos e padres-oficiais que não se intimidavam. Ao serem levados à pia para receberem – à força – o batismo aos empurrões e puxados pelos cabelos,  ouvia-se gritos de ‘Queimai-os!!!, Queimai-os!!!’ Na praça da igreja onde tudo se deu, montou-se um quadro típico do fanatismo, tirania, ganância, domínio e carnificina da igreja, onde 300 pessoas já forçadamente batizadas, receberam o nome de ‘cristãos novos’ e foram lançados às fogueiras que ardiam em chamas de três à mais metros de altura.  Em outros pontos da cidade, grupos menores de 18 à 20 pessoas já se queimavam nas fogueiras desse maldito ganancioso inquérito religioso,  que tinha o prazer incontido de ver as pessoas se arderem nas chamas.Era o início de uma carnificina, patrocinada e levada à cabo pelos padres, bispos-oficiais e toda classe eclesiástica da igreja católica. Homens, mulheres e idosos eram colocados à ferros nas masmorras fétidas, serrados ao meio,  torturados por máquinas que puxavam seus braços e pernas sob gemidos intensos. Muitos eram pregados à parede ou dependurados por fortes correntes no teto das masmorras ou salões, até a morte. Crianças eram pegas pelos pés que rodopiando-as, esmagavam seus crânios nas paredes. Era a “indústria” da igreja de  supliciar e matar violentamente, que hoje a igreja “finge!” nada ter acontecido !
Foi um holocausto terrível e pavoroso, jamais visto  até então!!!
Mulheres solteiras ou casadas eram brutalmente violentadas pelos padres e bispos,  que depois as atiravam às chamas das altas fogueiras que ardiam. Todos os bens eram confiscados para a igreja cujos cofres se abarrotavam de ouro e toda espécie de valores.
Por fim, bispos, padres e toda a classe eclesiástica, em nome da igreja, ‘legaliza’ os seus ‘direitos’ sanguinários de matar aos que não aceitassem a igreja, estabelecendo uma macro- estrutura doentia: ‘O tribunal da maldita matança’ onde muitos foram violentados, esmagados, perfurados por ferros, dependurados à ferros até a morte, queimados, assados vivos, mortos por inanição, atirados sobre pranchas pontiagudas, puxados por um cavalo à galope até a morte...

É inacreditável !!! ...mas isso é a aniquiladora igreja católica , que “com a sua oficina de máquinas e apetrechos  de torturar, supliciar, esmagar e matar à sangue frio”, está ainda, intimidativamente, no nosso meio como se nada tivesse acontecido!!!

*A Península Ibérica é formada por Gibraltar, que pertence ao reino unido, Portugal, Espanha, Andorra(pequeno principado entre França e Espanha) e uma fração do território francês.
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)



quinta-feira, 12 de outubro de 2017

20.Glossolalia: o "falar em línguas estranhas".(REPOSTAGEM)

O próprio nome “línguas estranhas”, diz tudo,  isto é, anormais, censuráveis, repreensíveis, perturbadoras, estranhas na Terra, como também na Fonte Infinita da Luz Divina.
A igreja prega em seu livro textual, que se falavam em línguas estranhas no tempos idos.Tempos que a Terra vivia em trevas e era amplamente visitada por seres extraterrestres do mal, com propósitos de sobreporem-se e dominarem-na. É verdade, como é também verdade que a Terra ainda continua a ser muito visitada por eles, os draco-reptilianos, formadores do time da “hierarquia da falsa-luz”. O falar em “línguas estranhas ou perturbadoras”nas igrejas, não tem qualquer relação com a Luz Divina, mas com a “hierarquia da falsa-luz”do “astuto-demiurgo”, porque a Fonte Infinita não utiliza a canalização, a psicografia, a incorporação ou do linguajar falado, mas o “linguajar Espiritual, do Amor” que recebemos no coração e não na mente. A Fonte não envia qualquer sinal físico, mensageiro, movimentação, dor, perturbação, perda da consciência, contrações súbitas no corpo físico ou convulsão corporal. A Soberana Fonte “não manda recados” sequer através de “anjos, arcanjos, ascensos, mestres, deidades”..., porque são seres fictícios; são apenas hologramas criados pela “hierarquia da falsa-luz” do “astuto-mentiroso” para enganar e submeter a humanidade, como tem feito há muito mais de centenas de séculos. Portanto, desde quando a vida se fez presente na Terra, que os draco-reptilianos se mesclam com os terrenos, com o intuito único de dominá-la.Usam, sutilmente, da religião com as suas falsidades e hologramas para chamar a atenção, emocionar, comover e manter o povo preso às suas energias de baixíssimas frequências.

Como a religião surgiu na baixa frequência da Terra, para cobrir interesses político-gananciosos de dominação, muitos dos extraterrestres que aqui estiveram há milênios, não pertenciam a Luz Divina. Manipulavam as trevas e buscavam, como ainda buscam, o domínio do planeta e do ser humano à qualquer custo. Tentavam se comunicar falando as suas línguas originais, estranhas na Terra levando o povo daquela época, inclusive, a pensar que se tratavam de “anjos ou deuses”,como também tem acontecido nos nossos dias, dentro das igrejas. O aparecimento da “religião” com seus textos doutrinários, é “coisa” da Terra, planeta ainda na tridimensionalidade e baixa frequência da Luz Divina, onde o Amor Incondicional e suas consequências benevolentes, “ainda não tomaram os seus lugares em definitivo”, porque dependem da frequência de Luz dos seres humanos, que ainda estão limitados a conceitos religiosos, seitas, egoísmo, doutrinas, ganância, preconceitos, poder...glossolalia. Os seres humanos são Luz Divina real, mas como a “hierarquia da falsa-luz” tem ratificado seus “ardilosos feitos”com a ação conjunta dos “maquiavélicos criadores do karma” durante o momento que o ser humano deixa a sua “vestimenta carnal” na Terra, a reencarnação dos seres humanos se dá de forma prematura e inconsciente, fora da Consciência Divina, levando uma vida na Terra sob o corrupto controle do “time dos criadores do karma” da “hierarquia da falsa-luz”. (Veja os 11 textos- mensagens  de 1 à 11, da série “Reencarnação Inconsciente” neste mesmo Blog).
Como as línguas dos extraterrestres draco-reptilianos que são mais evoluídos tecnologicamente do que o povo da Terra, estão numa frequência energética além da frequência tridimensional da Terra, esses seres apresentam a dislalia( perturbação nas articulações das palavras) em relação as línguas terrenas, tornando o seu linguajar extraterrestre muito loquaz( falador, verboso, repetitivo) sem sentido aos ouvidos dos seres humanos terrenos.
Eles “fazem” esses religiosos repetirem tais verbosidades num “comando indutor de submissão” porque a maioria já está, energeticamente“chipada”, obedecendo cega e automaticamente aos “comandos” impostos gracilmente.

A Espiritualidade Superior não “precisa” de línguas para se comunicar; é uma Deidade Soberana.O falar na língua nacional de seu país, já é “um sinal” da baixa frequência dos humanos encarnados, que aqui estão por escolha de sua própria Alma. Na Espiritualidade Superior, nos planetas evoluidos, os seres “vivem” na  Alta frequência da Luz onde não há linguajar físico.Seus pensamentos, desejos e emoções criam a realidade de suas existências etéreas.Usam-se a telepatia, o sentir ou a “comunicação intuitiva de Alta Frequência de Amor”. O Amor Incondicional é a “chave”que abre todas as “Portas Dimensionais” à Alta Frequência.
O linguajar físico, falado, é próprio de planetas ainda em evolução, da baixa dimensão e frequência de luz do Amor Incondicional.
Ah! Muitos diriam: “...mas eu já ouví alguém falar em línguas estranhas na igreja!”. Sim, realmente, e isso tem acontecido muito à miúde principalmente nesta Transição Solar porque passamos, onde seres da escuridão, da baixa frequência, se manifestam em igrejas de forma a poder “curar e enganar”o ser humano, iludindo a muitos até mesmo como “entrantes”. Falam em suas línguas extraterrestres/estranhas para iludir e motivar as pessoas e muitas vezes “fazem-nas” repetirem a mesma coisa como a um disco “arranhado”.São seus “comandos indutores” firmando contratos com a “hierarquia da falsa-luz” sem que o ser humano perceba. Há muitos “fiéis” dentro de igrejas sendo, inclusive, fortemente manipuladas por eles e seus pregadores “chipados”.A escolha é feita pelo “nível de ganância, de ambição, do ego...dai a corrupção, o desemprego, as dificuldades financeiras...Muitos fazem “qualquer negócio “ pelo dinheiro, pelo funesto dízimo, e são “astralmente abduzidos nos seus sonhos” sem que realmente percebam e “levados” para receberem o “chip”.Infelizmente nada podemos fazer, porque cada um se apronta para a Espiritualidade Superior na sua hora, no seu momento, e na Terra atualmente a “ambição e a ganância do dinheiro, tem falado mais alto”, razão porque o número de igrejas tem crescido assustadoramente.
Há muitos pregadores por aí afora “achando” que estão “curando pessoas”, quando na realidade há “muita coisa invisível” por trás de tudo isso que eles não conseguem ver nem sentir; a ganância fala mais alto ! Infelizmente os draco-reptilianos já instituíram um quartel general na Terra e há muitos deles como “entrantes”, ocupando cargos de destaque nas cadeiras presidenciais de muitos governos, na política, nas igrejas, nos exércitos, nas escolas, etc., etc., etc.
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)



                                                                                

terça-feira, 10 de outubro de 2017

19.Coração: abrigo da Alma, mente espiritual (REPOSTAGEM)

Para o Povo Inca, o coração é um órgão que merecia muito respeito por parte de todos, pois que era considerado “a mente espiritual”do ser. Assim sendo, na época em que o sacrifício fazia parte de seus rituais, o corpo era descartado, mas o coração era ofertado na bancada de sacrifícios com especial reverência. Para o Povo Egípcio, ele seria utilizado pelo morto no além-túmulo, enquanto o cérebro, para ambas as civilizações, era simplesmente descartado e não merecia qualquer atenção espiritual especial.
É do coração – do  sentir -, que provém os pensamentos ou emoções, bons ou deletérios, e não da mente. Dai, a expressão “de cor”, que significa “de memória”, uma vez que “cor” em Latim, significa coração, em Português, mas também  bom senso.Já no francês a expressão é par coeur =de cor, de memória e no inglês, by heart, onde coeur e heart significam “coração”.

Čhaŋ em Lakota é “coração onde  čhaŋ quer significar “ sentimento, canto, afeição” + -  que quer significar “lugar de”. Assim, “lugar de sentimento, de afeição”.

 Čŋ também significa  “árvore, porque para o Povo Lakota, a árvore é vida, é nossa irmã na Natureza e nos propicia a vida realizando a fotossíntese em presença da Luz Solar. Ela liberta o oxigênio no ar para nós seres carnais e retira o gás carbônico que expiramos. Isso é a simbiose(associação de dois seres ou organismos, na qual ambos os seres ou organismos recebem benefícios um do outro).Ela nos fornece o oxigênio e nós, o gás carbônico. È uma relação de amor incondicional, de fraternidade e carinho, mas, infelizmente, a maioria dos seres humanos ainda não se deu conta da importância do Ser Vivo Árvore na Natureza e portanto, na nossa vida: É uma troca de amor vital, de necessidades de vida,  porque somos todos órgãos da Natureza, filhos da nossa Divina Mãe-Terra. Sem árvore, sem Sol e sem o Coração, não haveria  vida.

O coração é o órgão pensante e de sentimentos que silencia a mente do Ser desgarrado das crenças, das doutrinas, dos pregadores... em busca da recuperação da  sua Consciência Divina. Todavia, o ser ainda agarrado às crenças e doutrinas só conhece a mente, palavras repetitivas escritas por outrem e a submissão da “hierarquia da falsa-luz”do “astuto-demiurgo.”

O nosso crescimento espiritual sedia-se no Amor Incondicional, sentimento do coração que nos induz à expansão da consciência, mas para isso, há de se silenciar a mente, o cérebro, que é um magnífico servo mas um péssimo senhor. Enquanto o coração, é a mente espiritual que nos mantém em conexão com a Soberana Fonte do Amor Incondicional e da Luz Divina;  a mente nos conecta à ganância, à servidão, à busca desenfrenada pelo ter e a destruição de nossas irmãs árvores.
O coração é a fonte geradora da vida e alimentadora do amor, e a mente, do ego, imposição e da ociosidade. Ele projeta a incondicionalidade de amar e sentir, mas nunca julgar.Enquanto a mente projeta as razões para impor a incondicionalidade de amar e fazer sentir e é julgadora e condenadora quando não, matadora.
O coração é o “Sopro Espiritual da Vida Eterna” e a mente “o orgão material temporal da vida”. A mente mente mas o coração a desmente.
A nossa natureza é a Luz Divina em busca do verdadeiro sentimento de amor incondicional, da recuperação de nossa Consciência Divina que está no coração, no EU Divino Interior.Portanto,   o “Coração é o abrigo da Alma e a mente Espiritual que nos projeta para a vida”.
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)



quinta-feira, 5 de outubro de 2017

18.Batismo: mergulho para a submissão (REPOSTAGEM)

O batismo(do grego: mergulho, submersão, imersão) foi e ainda é ritualizado pela igreja da Terra, para purificação de todas as culpas e pecados do povo como que uma remissão das  penas. Mas, daí se pergunta, que culpas, que pecados, que penas  ? quando não carregamos qualquer culpa, pecado, ou penas absolutamente. Culpa, pecado e pena,  são termos limitadores, opressivos e persuasivos usados pela religião para intimidar, causar medo e subjugar a humanidade à seguirem-na cegamente para dominação,  - satiricamente -  "se afogarem".

A Terra vivia um imenso caos, com tantas guerras planetárias de seres extraterrestres que tem buscado o seu domínio, e para que esse domínio torne realidade como aconteceu com outros planetas, os extraterrestres draco-reptilianos criaram a “hierarquia da falsa-luz” para burlar a humanidade. O povo daquela época era muito atrasado, sem qualquer noção de Amor Incondicional e tecnologias,  e as castas mais altas existentes, impunham o domínio sobre tudo e todos, e as mais baixas, procuravam se agarrar a qualquer coisa que pudesse lhe trazer o alento, a harmonia, o amparo e grandes explicações. Daí ter surgido a crença de que alguns extraterrestres tecnologicamente mais evoluídos, que aqui estavam, fossem “anjos, santos e deuses em carne e osso”, oportunizando, pois, o surgimento das crenças, seitas, dogmas e doutrinamentos gananciosos, acusadores, limitadores e dominadores.Nascia dai, o “deus criado pelo homem à sua imagem e semelhança”, que em seu nome, tem-se manipulado e "tirado dinheiro de todos os menos-informados" além de ter trucidado e matado a muitas centenas de inocentes mundo afora até os dias atuais.

Reencarnamos  na Terra por escolha de nossas Almas; cada uma com sua missão para dar continuidade ao propósito da Soberana Fonte Criadora, entretanto, ao deixarmos  a nossa “vestimenta carnal” nas  existências anteriores, fomos iludidos e enganados pelos “criadores do karma” que fazem parte do  time da “hierarquia da falsa-luz”, que nos “roubaram” a nossa Consciência Divina e nos “fizeram” reencarnar inconscientemente, nos “pregando” enormes mentiras das vidas pregressas.Eles foram os indutores da crença religiosa com tantos outros instrumentos holográficos e ritualísticos de suas mentiras.

A verdade nua e crua é que o batismo é um comando estratégico indutor. Foi e é uma das formas que a religião encontrou para manipular, atemorizar e manter os fiéis presos à sua doutrina da falsa-luz e, consequentemente, à cada igreja com o seu pregador. A água, por si,  naturalmente, já um Ser Vivo da Natureza, a fonte da vida e o seu Deva energiza, cura e sustenta a quem a utiliza, além, é claro, de dar manutenção da vida no planeta; mas a questão do “batismo”  é pura manipulação indutora da igreja para submeter o indivíduo à rígidas obediência das doutrinas religiosas.
João Batista, citado pela falsa-luz da religião,  é uma figura folclórica holográfica dos draco-reptilianos criada há mais de 20 séculos como também os anjos, arcanjos, ascensos, etc., etc., etc., e formatada num conto que mais poderia chamar-se de “conto da vó Joana” ou da “carochinha”. Seu falso nome “batista”, dado à holografia, se originou de “batismo”.
A“carochinha” ou simplesmente “carocha” era a mitra( carapuça) que os condenados da inquisição da igreja católica eram obrigados a usar no seu suplício. A maquiavélica inquisição, confiscou bens, humilhou, aterrorizou,  supliciou e matou com as suas máquinas de torturas,  a algumas centenas de milhares de inocentes, por não aceitarem o cruel e pérfido domínio controlador da igreja. A inquisição da igreja católica com a sua falsa-luz e ardilosos patriarcas, foi a mais cruel “maquina humana” de confisco de bens, tortura  e extermínio do ser humano inocente na face da Terra. E isso sem mencionar os conflitos, a tirania e a condenação de muitos inocentes à fogueira ardente quando da sua chegada na Europa !

“pai, filho e espírito santo” da igreja foi o engodo, a isca, usada por Constantino,- um dos patriarcas da igreja -,  idealizador e criador da bíblia com os seus políticos.O“pai e espírito santo” é o holograma manipulador do “astuto demiurgo” e, o “filho”, chamado pelo igreja e pelo seu livro textual de, “Jesus, filho unigênito de deus”, é um holograma criado pela “hierarquia da falsa-luz” do “astuto-demiurgo-mentiroso”.

Estamos em definitiva conexão com a  Soberana Fonte Infinita, portanto, somos  Luz Divina; somos Seres Soberanos e iluminados pela nossa Fonte de Luz e da Vida,em busca da recuperação de nossa Consciência Divina roubada pelos “corruptos criadores do karma”; razão porque devemos ratificar o Acordo Original que fizemos e temos com a Fonte Divina, para reencarnarmos, apenas, conscientemente neste reino e de carregarmos a Fonte da Luz Divina em nossa encarnação terrena.
O livro textualizado denominado bíblia, nada mais é do que “um livro dos ajustes políticos”, criado por Constantino e seus políticos  que textualizam, inclusive, fatos paradoxais entre si.

“Espiritualidade é o sopro de vida que lhe mantém vivo, mesmo morto. Religiosidade com suas doutrinas são o sopro de morte que lhe mantém morto, mesmo vivo”.Thunna Burnama
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)




sábado, 30 de setembro de 2017

17.Cruz, herança do império romano: suplício e maldição (REPOSTAGEM)

O planeta tem vivido desde o início de sua criação, total engodo espiritual, devido a má interpretação dos primitivos povos da Terra quando da chegada de extraterrestres mais evoluídos cientificamente, mas desprovidos de sentimentos e mal intencionados. Toda a Terra foi induzida por gananciosos do poder que viram aqui, a grande oportunidade de limitar, “controlar a energia” e dominar a humanidade terrena.Sentindo de que os habitantes da Terra são “Consciência Divina”, usaram os artifícios do karma saqueando-a mediante informações mentirosas de vidas pregressas, induzindo o estado afetivo, emoção, paixão e fortes sentimentos de culpa e “pecado”e o resultado consequente, foi a instituição da falsa-luz na religião com os seus hologramas intimidativos.

A Transição Solar porque passamos nestes tempos, é o grande marco da evolução do planeta e oportunidade para que os seres humanos da Terra, de um  modo geral, acordem para essa evolução à caminho da pentadimensão. Como seres tridimencionais, os seres humanos da Terra tem conhecido apenas enganações, limitações e hipocrisia com os artifícios usados nas religiões e suas doutrinas pela “hierarquia da falsa-luz” do “astuto-demiurgo, que só quer a sua limitação, opressão, escravidão, sofrimento e... o seu dinheiro acima de tudo. A Transição Solar está ai para oportunizar a todos a energia necessária para buscar a recuperação de sua Consciência Divina, roubada pela “hierarquia da falsa-luz”no momento de sua reencarnação, o que tem sugado as suas energias vitais, essenciais  e fragmentos de sua Alma desde então.

A Terra é um Ser Vivo e como tal emana a chamada Energia Telúrica que  é armazenada nos seus subterrâneos, cavernas e mananciais de água profundos.Essa energia nociva é originária das energias negativas-pensamentos-emoções dos seres humanos que aqui habitam. Pensamentos e emoções são energias alimentadoras, mas  quando negativas, o Ser Vivo Terra reage com radiações, enchentes, tempestades, tsunamis, terremotos...A medida que buscamos a recuperação de nossa Consciência Divina, roubada pelos “criadores do karma” que pertencem ao time da “hierarquia da falsa-luz”, saberemos  distanciar e bloquear as energias nocivas, negativas atribuídas à hierarquia da falsa-luz, como, seitas, dogmas, doutrinas, crenças religiosas, vícios, ambição, vaidades, egoísmo, ódio, karma, enfermidades,etc.  e aprenderemos, por consequinte, “dominar” os nossos pensamentos e emoções para uma melhor qualidade de vida enquanto terrenos, e portanto, estar com as energias equilibradas.

O comer carne, por exemplo,  produz uma fortíssima energia negativa e lhe traz o medo na vida, produzindo energias deletérias com pesada ociosidade involutiva à você e ao planeta.
Esta Transição Solar de então,  vem acompanhada de inúmeros Seres Índigos, Cristais, Arco-Íris e Diamantes, que aceitaram se encarnar na Terra  para trazer o conhecimento e a sabedoria multiuniversais, que levem os seres humanos à se “acordar” para o resgate de sua Consciência Divina antes de deixar esta “vestimenta carnal”. Urge que isso aconteça, para que você resgate  a sua plena Consciência Divina nesta existência, para negar na próxima existência, as mentiras dos chamados “senhores do karma”, que são em verdade, os “criadores dessa mentira pegajosa” que motivará toda a sua soberania e governo de sua própria vida na sua próxima existência carnal.

Na época de trevas na Terra trazida pelos extraterrestres reptilianos, criadores da “hierarquia da falsa-luz”e já por volta do ano 146 a.C., Roma disputava com Kart-Hadasht (Cartago na língua fenícia) o controle do Mediterrâneo.Assim, os romanos invadiram e incendiaram Cartago no Mar Mediterrâneo (hoje Tunísia), no norte da África, escravizando toda a população, inclusive as crianças. Foi um terrível holocausto, porque os romanos sempre estiveram em busca do poder à qualquer custo e Cartago era um império de um povo notável. O império romano levou a destruição e morte à várias regiões e impérios notáveis na Terra.
Cartago foi refundada por Cesar e Augusto como colônia romana no Sec I a.C., que novamente adquiriu prosperidade com o trabalho forçado de seu povo escravo, que era desdenhado pelo império romano pela inveja da sua notabilidade. Mas, já era planos do império romano, interesseiramente, fazer da nova colônia um centro religioso que levasse turistas e muito dinheiro para o  império.
Já por volta do século III à IV, o império romano- como sempre - infernizou o planeta invadindo, aterrorizando e matando, barbaramente, a quem atravessasse o seu caminho.Era, como sempre, uma carnificina. Alguns tinham um fio de chance de serem levados a julgamento, sempre unilateral, e os condenados, eram levados à morte na cruz, onde eram amarrados ou pregados com longos cravos à cruz para suplício. Razão porque a cruz, sempre foi vista como um instrumento de suplício para o povo, e para o império, um instrumento que afastava de vez, todo aquele que não estivesse de acordo com a sua tirania ambiciosa. Esse método romano de justiçar os escravos e condenados, era visto como o mais profundo horror e vergonha,  porque  começava com a flagelação desnudando o condenado e levando-o ao mais forte desejo de alívio na morte. Muitos dos condenados não suportavam os terríveis açoites muito antes mesmo de serem crucificado, porque teriam, além dos exagerados açoites, que levarem  consigo à grandes distâncias, o peso da enorme cruz motivados pelas chicotadas, empurrões e cutucadas com as pontas das lanças dos soldados. Foi no Séc.III que o imperador Constantino idealizou e determinou a seus políticos a criação de um conjunto de “normas e condutas religiosas” que foi chamada de bíblia em grego antigo.
Para o povo terreno da época, a cruz era maldição e a sua representação religiosa sempre simbolizou sofrimento, flagelação e morte. Razão porque o povo romano não aceitava a cruz em hipótese alguma. Com a ascensão da religião imposta por Constantino, o império romano impôs o louvor à cruz e à “bíblia” e a quem não os aceitasse, era crucificado até a morte. Foi, de lá pra cá, uma pesada “lavagem cerebral” hereditária para que o povo em geral pudesse “aceitá-los”. Assim, todo aquele que faz um sinal de cruz em seu corpo, está se amaldiçoando, e muitos não estão ainda “prontos”para conhecerem e sentirem a sua maldição.

A cruz, há muito utilizada pelos religiosos, iludindo, induzindo e inferindo uma “fé” temerosa aos Seres Humanos na Terra como “proteção”, é imoladora e nada tem a ver com o a Fonte Infinita da Luz Divina, porque o Jesus “endeusado”pela igreja, jamais existiu, sendo apenas um holograma como tantos outros, criado pela “hierarquia da falsa-luz” do “astuto-demiurgo”, para intimidar e apreender a humanidade terrena. A “hierarquia da falsa-luz” através da cruz religiosa, tem feito  uma lavagem cerebral-energética nos seres humanos para enfraquecê-los, amedrontá-los, limitá-los e fazê-los “escravos” dessa energia imoladora.

Ninguém reverencia, venera e adora ou tem como “sacrossanto” um instrumento como a cruz,  que serviu de arma e  suplício à milhares de pessoas que foram supliciadas e padeceram em agonia no passado e hoje milhões de Almas são iludidas, enganadas, imoladas e levadas a crer numa “culpa” que nunca existiu,  por imposições patriarcais gananciosas. Seria o mesmo que reverenciar como sacrossanto, a Cadeira  repleta de pregos pontiagudos,  ou o Aparelho esmagador de joelhos, ou as Gaiolas suspensas, ou a Mesa de estiramento, ou a Mesa de evisceração, ou a Cadeira de bruxa, ou o Berço de judas, ou a Roda de despedaçamento corporal ou a cama de pregos, ou a Pêra que era introduzida com violência no ânus ou vagina para “punir, que a inquisição católica agonizou e supliciou a milhões de pessoas inocentes  por, simplesmente, não aceitarem suas imposições.

Somos Luz Divina, Somos Soberanos e Iluminados pela Soberana Fonte Infinita e não somos “pecadores” ou culpados de coisa alguma.Buscamos a nossa Consciência Divina roubada pela “hierarquia da falsa-luz” para quebrar nossas amarras inconscientes.
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)