quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

85.Candaal Hopi para cura espiritual e física

O Povo Hopi(Hopilávayi), da linhagem Uto-Azteca, índios do nordeste do Arizona, Estados Unidos, usavam desde a época pré-Colombiana uma medicina termo-auricular que era chamada por eles de "Pauzinho de Cura" feito de cera de abelhas e ervas medicinais.Fala-se entre os pesquisadores nos  Estados Unidos e Canadá onde a Candaal Hopi é largamente fabricada, que Atlantis deu, em sua época, uma grande contribuição para a expansão de seu uso popular. Esses Povos se subdividem em Hopi Polacca, Toreva,  Sipaulovi e  Oraibi. Por influencias adversas, do Espanhol, do Inglês e dos Povos Navajo, essa medicina passou a ser chamada na língua Hopi de "Candaal Hopi", que significa "vela ou canudo Hopi" em Português.Trata-se de um "canudo" feito de cera de abelhas e ervas medicinais, ôco portanto, que é introduzido nos ouvidos.
Essa Medicina também era utilizada pelos  Hindus, Gregos,  Romanos, Maias, Chineses e Tibetanos desde tempos imemoriais,  para a abertura espiritual, desequilíbrio energético, limpeza dos chakras, limpeza da aura, limpeza das energias intrusas e  zombeteiras,etc. Sua utilização é tão popular, que também é conhecido como Cone Chinês, Cone Hindu, Cone Grego, etc. Porém entre o Povo Hopi, a "Candaal Hopi" nunca teve o formato de um cone, mas sim de um canudo, chamado por eles de "pauzinho de cura" como dito anteriormente.
Na medicina alternativa natural, é usado para a cura da labirintite, bronquite, enxaquecas, sinusite, dores de cabeça e dores no ouvido, tonturas, vertigens, coceira no ouvido, depressão, para alívio do stress, para os casos de falta de concentração, distúrbios nervosos, dor de garganta, desobstrução da cera no ouvido e vem facilitar a oxigenação do sangue.
A Candaal Hopi funciona como uma vela oca, posicionada em cada um dos ouvidos,  que ao acendê-la na parte superior, emite fumaça que por sê-la ôco, penetra ouvido adentro trazendo os benefícios acima citados.O fogo queima a Candaal Hopi aos poucos e cria um vácuo atmosférico que faz deslocar o acúmulo de cera,  detritos e todo material impregnado dando uma incrível sensação instantânea de bem-estar. Nos mais simples casos como insetos dentro do ouvido, acúmulo de cera e coceira, que incomoda sensivelmente o indivíduo à abertura espiritual e cura de tantas patologias, a sensação de conforto e bem-estar é fantástica.
Com o calor produzido pelo fogo, a  coluna de ar dentro da Candaal Hopi se desloca . À medida que a queima se desloca para baixo, ela continua aquecer a parte superior da Candaal Hopi de ar ascendente no centro da Candaal.
Evidentemente o Terapeuta aplicador usa um aparador tipo prato para reter os resíduos oriundos da Candaal Hopi para proteção do recebedor da "medicina".

Aplicamos a Candaal Hopi em nosso Espaço Xamânico, individualmente ou juntamente com outros rituais de cura d’Alma no Programa  “Jornada Sagrada Xamânica” que você poderá ler e se inteirar  na página pertinente neste mesmo blog.
Para contato: thunnaburnama@gmail.com
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)




terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

88.Candaal Hopi, alertas para uso e aplicação.

É muitíssimo importante observar as informações e alertas abaixo, à mim transmitidas pelos Mestres Espirituais  sobre o uso e aplicação genuinamente indígena da Candaal Hopi.    

Primeiramente é meritório saber que a Candaal Hopi não deve, absolutamente, ser auto-aplicada por questão de segurança, bem como não ser aplicada em ambientes abertos evitando o vento que poderá soprar faíscas causando incidentes desagradáveis. Terapeutas femininas devem evitar usar saias, blusas e/ou  camisas que se avoassem durante a terapia. Os Povos Hopi (Hopilávayi), praticantes dessa terapia termo-auricular, aplicam-na dentro de suas casas de pedra, distantes de ventos e objetos inflamáveis. 

*O Terapeuta-aplicador, deve usar uma maca ou mesa sem acolchoado, distante de acortinados, lençol ou qualquer tecido na cabeça do recebedor da terapia para evitar faíscas durante a queima da Candaal;

*O recebedor da terapia deve usar apenas um pequeno travesseiro ou almofada que não ultrapasse o espaço da cabeça. Um travesseiro ou almofada maior porá em evidência o perigo de faíscas durante a queima da Candaal. Instrua ao recebedor da terapia, a importância de se sentir confortável, calmo e conectado com a energia espiritual, pois que estará certamente presente ao momento. A pessoa poderá, possivelmente, expandir a sua consciência. Isso acontece com pessoas já “prontas espiritualmente”. Sendo o terapeuta-aplicador um clarividente, ele terá, certamente, percepção da energia do campo vibracional do recebedor da terapia.

*A Candaal só deve ser acesa após afixá-la no prato-aparador e introduzi-la verticalmente no ouvido adentro do recebedor da terapia. Esse procedimento evitará que respingos e faíscas da Candaal recaiam na cabeça da pessoa e venham causar incidentes desagradáveis. É aconselhável que o prato-aparador, seja ele de madeira ou alumínio, tenha uma diâmetro que cubra protetivamente a cabeça do recebedor da terapia evitando possíveis faíscas da Candaal.

*A Candaal não deve se queimar além de  quinze centímetros deixando na ponta inferior, uma segurança de no mínimo cinco centímetros acima do prato aparador. A cada queima da Candaal, deve-se assegurar que o resíduo queimado seja seguro com uma pinça e em seguida cortado com uma tesoura e colocado  num recipiente com água.

*Após a queima da Candaal, observando a segurança física do recebedor da terapia, retira-se a parte restante da Candaal que deve ser apagada num recipiente com água. Com uma tesoura, o terapeuta-aplicador pode abrir essa parte remanescente  da Candaal e exibi-la ao recebedor da terapia para comprovar a eficiência terapêutica dos Povos Indígenas Hopi.

*É  impreterivelmente necessário e de responsabilidade do terapeuta-aplicador estar lado à lado com o recebedor da terapia durante todo o processo em ambos os ouvidos.


*Ao terminar a terapia termo-auricular, oriente ao recebedor da terapia levantar-se vagarosamente e dê-lhe um cotonete para a limpeza, não do ouvido, mas em torno do orifício de entrada de ambos os  ouvidos e certifique-se que a pessoa  esteja bem.
Thunna Burnama (Thunkásila Hehaka Phá)

domingo, 19 de fevereiro de 2017

87...nas mãos de "deus"?

A igreja ensina que você deve ‘deixar tudo nas mãos de “deus”, quando a Deidade é a Soberana Fonte da Luz, do Poder e da Vida, o Grande Sol Central. Tudo fica, verdadeiramente, nas mãos de cada um, porque cada um é o único responsável pela sua vida, pela sua prontidão e pela  sua sabedoria  espiritual; a nossa natureza é a Luz Divina e conhecemos o nosso Caminho, portanto não há vítimas, mas negligentes à liberdade espiritual, que têm sido iludidos pelos hologramas da  hierarquia draco-reptiliana da falsa-luz.
Os seus pensamentos, emoções, atos e ações formatam a sua realidade de vida. Não há submissão porque ‘estamos todos relacionados’. Não há culpa, erro e sequer o pecado que a igreja vem pregando, mas a existência experienciada por escolha da sua própria Alma. Temos sido iludidos a reencarnar inconscientemente pelos “criadores do karma do time da hierarquia da falsa-luz.”
Você é um Ser Espiritual, Centelha de Luz da Soberana Fonte Que-Tudo-É.  Você e todos nós, não somos um corpo com uma Alma, mas uma Alma com uma “vestimenta carnal” para vivermos na baixa freqüência da Terra.
Você, tanto quanto nós, é Luz Divina, iluminado pela Fonte da Luz, do Poder e da Vida, que conjuntamente, compomos o Corpo de Luz deste Planeta. Somos eternos viajantes galáticos no Caminho da ascensão às Altas Dimensões da Luz Divina.
Thunna Burnama (Thunkásila Heháka Phá)



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

86.As Quatro Direções da Roda da Cura e seus Espíritos Guardiões representados no Anel Atlantis

                                                    Khéya Wíta Kiŋ= a Ilha da Tartaruga

Na época em que Canadá* e Estados Unidos formavam um único território, era chamado em Lakota de “Khéya Wíta Kiŋ”= “A Ilha da Tartaruga” e esse vastíssimo território “era a morada”, o “lar-doce-lar” de centenas de tribos indígenas.
Čȟaŋgléška Wakȟáŋ Kiŋ” = A Roda de Cura ou Roda Medicinal já era usada há muitos anos por esses povos, sendo que a mais antiga delas foi construída por volta de 800 anos, nos limites de Bighorn, em Wyoming, e é considerada sagrada por muitos que a usam. Há muitas outras em várias outras regiões ou estados, como em Sedona, Arizona, por exemplo.

Por volta de 1570, havia um grande Xamã iroquês, cujo nome na língua Ojibwa nativa, era Hiawatha, que trouxe a unificação dos povos naquela época. Ele se empenhou muito severamente para a unificação e paz do povo Iroquês.
Os nomes de todos os Guardiões Espirituais das Quatro Direções da Roda de Cura vem em Ojibwa e são ao Norte,Waboose; ao Sul, Shawnodese; ao Leste, Wabun e ao Oeste, Mudjekeewis. Comenta-se, que a Roda Medicinal ou Roda de Cura foi criada pelos ancestrais  desses povos  há quase mil anos atrás, entretanto, há uma versão que diz que a Roda de Cura já era usada pelos Mongóis antes do Xamanismo chegar à America. De fato, a Mongólia é o berço do Xamanismo que chegou à Ilha da Tartaruga pelo Estreito de Bering, que separa a Rússia dos Estados Unidos.
                                                           
            Os Quatro Furos do Anel representam as Direções da Roda da Cura ou Medicinal           

Os furos Norte e Sul do Anel Atlantis, são posicionadamente fixos no Anel, entretanto o Leste e Oeste são variáveis dependendo do lado em que o Anel é colocado no seu dedo. O Norte representa a terra e o Sul, a água.É sempre dito que um anel que lhe sirva de ornamento, não apresenta  verso ou anverso ou como se diz de uma moeda, cara ou coroa, mas não é o caso do Anel Atlantis, que o furo da direita representa o Leste e o da esquerda, o Oeste. Mas, isso pode “variar”, de acordo de como você o vê ou do posicionamento do Anel do seu dedo.
As Quatro Direções é um dos principais arquétipos do Xamanismo e a sua simbologia é profundamente sábia.

O círculo é reconhecido pelo Povo Lakota e todo o Povo Nativo Americano, como o principal símbolo para o entendimento dos mistérios da vida.
O círculo é impresso na natureza como forma-impressão dela, como no Sol, nos Planetas, nos seus olhos que olham à tudo...e toda a energia que circula em círculos, em espiral.
                                                                    
                                                                        O  Leste

O Leste é representado pela cor amarela, cujo elemento é o fogo e os animais dessa direção protegem o seu caminho na busca da iluminação; é a morada da Águia que tem uma visão acurada de tudo e cujo Espírito Guardião é Wabun, que em Ojibwa significa “que nasce”, “que surge”. É a morada do  Soberano Sol.
No Leste, a Águia ensina o uso da visão e do desapego. O Soberano Sol é a Morada Eterna, o início, a vida. No Leste a Águia abre suas asas para alcançar a Energia da Iluminação da Espiritualidade Verdadeira, cura, poder, iniciativa, criatividade, força de vontade para tudo.
Os atributos do Leste é a verdade sem culpa ou julgamento, é o desenvolvimento da visão e intuição.
                    
                                                         O Furo Leste do Anel Atlantis

O “Furo Leste” do Anel deve ficar sempre à Leste em relação ao Poderoso Universo, e isso quer dizer do seu lado direito independente da mão. quando o anel estiver no dedo. O Furo Leste fica vizinho ao dedo médio se você usar o Anel do dedo anular da mão esquerda. Se na mão direita, o Furo Leste será vizinho do dedo mínimo, porque o Furo Leste do Anel deve ficar do lado direito do universo.O Triângulo do lado leste representa o Continente Atlantis e o oeste, o Continente Lemuriano.

                        Como “saber” que furo do Anel representa espiritualmente o Leste ?

Somente o tempo lhe propiciará esse verdadeiro conhecimento, porque o Furo Leste do Anel lhe proporcionará a chegada da visão e intuição mais rapidamente.
Viaje com a Águia com os olhos cerrados, numa meditação. Sinta-se voando com ela e procure ver de cima, o que você não pode visualizar de onde você está.
Ela representa a sabedoria, a abundância, a espiritualidade. È a clareza mental, a iluminação, a visão ampliada invocada xamanicamente. Suas penas são consideradas o mais sagrado instrumento de cura e são muito respeitadas numa cerimônia.
                                                                           ###
Canadá* = O nome vem da língua indígena dos Iroquis e Hurons “Kanata”, que significa “aldeia”, e foi estabelecido em 1547.
O Canadá é uma Monarquia Constitucional, um Estado Federal e uma democracia parlamentar pluralista. A Rainha Elizabeth II do Reino Unido é a chefe de Estado do Canadá. A Rainha delega seus poderes a um representante, o Governador-Geral do Canadá, e o chefe de governo é o Primeiro Ministro que juntamente com o seu gabinete, exerce o Poder Executivo. O Poder legislativo é representado pelo Parlamento composto pela Câmara dos Comuns(308 deputados) e pelo Senado (105 senadores).
Thunna Burnama (Thunkásila Heháka Phá)



86.As Quatro Direções da Roda da Cura e seus Espíritos Guardiões representados no Anel Atlantis.

                                                   Khéya Wíta Kiŋ= a Ilha da Tartaruga

Na época em que Canadá* e Estados Unidos formavam um único território, era chamado em Lakota de “Khéya Wíta Kiŋ”= “A Ilha da Tartaruga” e esse vastíssimo território “era a morada”, o “lar-doce-lar” de centenas de tribos indígenas.
Čȟaŋgléška Wakȟáŋ Kiŋ” = A Roda de Cura ou Roda Medicinal já era usada há muitos anos por esses povos, sendo que a mais antiga delas foi construída por volta de 800 anos, nos limites de Bighorn, em Wyoming, e é considerada sagrada por muitos que a usam. Há muitas outras em várias outras regiões ou estados, como em Sedona, Arizona, por exemplo.

Por volta de 1570, havia um grande Xamã iroquês, cujo nome na língua Ojibwa nativa, era Hiawatha, que trouxe a unificação dos povos naquela época. Ele se empenhou muito severamente para a unificação e paz do povo Iroquês.
Os nomes de todos os Guardiões Espirituais das Quatro Direções da Roda de Cura vem em Ojibwa e são ao Norte,Waboose; ao Sul, Shawnodese; ao Leste, Wabun e ao Oeste, Mudjekeewis. Comenta-se, que a Roda Medicinal ou Roda de Cura foi criada pelos ancestrais  desses povos  há quase mil anos atrás, entretanto, há uma versão que diz que a Roda de Cura já era usada pelos Mongóis antes do Xamanismo chegar à America. De fato, a Mongólia é o berço do Xamanismo que chegou à Ilha da Tartaruga pelo Estreito de Bering, que separa a Rússia dos Estados Unidos.
                                                           
            Os Quatro Furos do Anel representam as Direções da Roda da Cura ou Medicinal           

Os furos Norte e Sul do Anel Atlantis, são posicionadamente fixos no Anel, entretanto o Leste e Oeste são variáveis dependendo do lado em que o Anel é colocado no seu dedo. O Norte representa a terra e o Sul, a água.É sempre dito que um anel que lhe sirva de ornamento, não apresenta  verso ou anverso ou como se diz de uma moeda, cara ou coroa, mas não é o caso do Anel Atlantis, que o furo da direita representa o Leste e o da esquerda, o Oeste. Mas, isso pode “variar”, de acordo de como você o vê ou do posicionamento do Anel do seu dedo.
As Quatro Direções é um dos principais arquétipos do Xamanismo e a sua simbologia é profundamente sábia.

O círculo é reconhecido pelo Povo Lakota e todo o Povo Nativo Americano, como o principal símbolo para o entendimento dos mistérios da vida.
O círculo é impresso na natureza como forma-impressão dela, como no Sol, nos Planetas, nos seus olhos que olham à tudo...e toda a energia que circula em círculos, em espiral.
                                                                    
                                                                        O  Leste

O Leste é representado pela cor amarela, cujo elemento é o fogo e os animais dessa direção protegem o seu caminho na busca da iluminação; é a morada da Águia que tem uma visão acurada de tudo e cujo Espírito Guardião é Wabun, que em Ojibwa significa “que nasce”, “que surge”. É a morada do  Soberano Sol.
No Leste, a Águia ensina o uso da visão e do desapego. O Soberano Sol é a Morada Eterna, o início, a vida. No Leste a Águia abre suas asas para alcançar a Energia da Iluminação da Espiritualidade Verdadeira, cura, poder, iniciativa, criatividade, força de vontade para tudo.
Os atributos do Leste é a verdade sem culpa ou julgamento, é o desenvolvimento da visão e intuição.
                    
                                                         O Furo Leste do Anel Atlantis

O “Furo Leste” do Anel deve ficar sempre à Leste em relação ao Poderoso Universo, e isso quer dizer do seu lado direito independente da mão. quando o anel estiver no dedo. O Furo Leste fica vizinho ao dedo médio se você usar o Anel do dedo anular da mão esquerda. Se na mão direita, o Furo Leste será vizinho do dedo mínimo, porque o Furo Leste do Anel deve ficar do lado direito do universo.O Triângulo do lado leste representa o Continente Atlantis e o oeste, o Continente Lemuriano.

                        Como “saber” que furo do Anel representa espiritualmente o Leste ?

Somente o tempo lhe propiciará esse verdadeiro conhecimento, porque o Furo Leste do Anel lhe proporcionará a chegada da visão e intuição mais rapidamente.
Viaje com a Águia com os olhos cerrados, numa meditação. Sinta-se voando com ela e procure ver de cima, o que você não pode visualizar de onde você está.
Ela representa a sabedoria, a abundância, a espiritualidade. È a clareza mental, a iluminação, a visão ampliada invocada xamanicamente. Suas penas são consideradas o mais sagrado instrumento de cura e são muito respeitadas numa cerimônia.
                                                                           ###
Canadá* = O nome vem da língua indígena dos Iroquis e Hurons “Kanata”, que significa “aldeia”, e foi estabelecido em 1547.
O Canadá é uma Monarquia Constitucional, um Estado Federal e uma democracia parlamentar pluralista. A Rainha Elizabeth II do Reino Unido é a chefe de Estado do Canadá. A Rainha delega seus poderes a um representante, o Governador-Geral do Canadá, e o chefe de governo é o Primeiro Ministro que juntamente com o seu gabinete, exerce o Poder Executivo. O Poder legislativo é representado pelo Parlamento composto pela Câmara dos Comuns(308 deputados) e pelo Senado (105 senadores).
Thunna Burnama (Thunkásila Heháka Phá)



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

84.Coração: abrigo da Alma, mente espiritual.

Para o Povo Inca,o coração é um órgão que merecia muito respeito  e para os Egípcios, ele seria utilizado pelo morto no além-túmulo, enquanto o cérebro, para ambas as civilizações, era simplesmente descartado e não merecia qualquer atenção especial ou respeito.

O coração é a mente do espírito, e a Akasha os seus arquivos. É  do coração – do  sentir -, que provém o amor, as emoções , e não da mente. Dai, a expressão “de cor”, que significa “do coração”, “da memória do coração”, uma vez que “cor” em Latim significa coração. O mesmo se aplica no Inglês , “by heart” , no Francês “par coeur”, no Tupi, a língua brasílica, “nhyã-suí”, no Russo, “НАИЗУСТЬ”, no Alemão, “von Herzen” no Espanhol, “de coro”ou no Lakota “thaƞmáhel” “de  cor”, “do coração”, “da memória do coração”.
O coração é o Órgão Pensante que silencia a mente do Ser Espiritual.

A nossa evolução espiritual sedia-se no Amor Incondicional, sentimento  do coração que nos induz à expansão da consciência, mas para isso, há de se silenciar a mente, o cérebro, que é um magnífico servo mas um péssimo senhor. Enquanto o coração, é a mente espiritual que nos conecta com a Soberana Fonte do Amor Incondicional, da Luz Soberana, a mente nos conecta à ganância, à servidão, à busca desenfreada pelo ter.

O coração é a fonte geradora da vida e alimentadora do amor, e a mente, do ego e imposição. O coração projeta a incondicionalidade de amar e sentir e nunca julga. Enquanto a mente projeta as razões para impor a incondicionalidade de amar e fazer sentir e é julgadora e condenadora.
O coração representa o “sopro espiritual da Vida Eterna” e a mente “o orgão material temporal da vida”.
A evolução espiritual, inerente do Ser, depende da busca do sentimento de amor incondicional; depende do sentimento de amor, acionado pela “mente do coração”.Porquanto, a Espiritualidade é a seiva alimentadora do coração que foi originada da Soberana Fonte Criadora, de onde tudo deriva e provém, razão porque se diz que o Coração é a “Casa que abriga a Alma”.
Thunna Burnama (Thunkásila Heháka Phá)




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

83.Sirianos, Geneticistas co-criadores do nosso corpo carnal.


Os Sirianos deixam o seu planeta e vêm para Terra em variadas formas físicas, mas principalmente como golfinhos e baleias. Como cetáceos, não experienciam a forte dor da encarnação por não ficarem separados da Mãe-Terra, da Mãe-Natureza, como acontece com os humanos terrenos, porque os humanos terrenos teriam que cuidar da Terra, da Natureza como “sua casa”, mas em vez disso, infelizmente, a destroem, fazendo queimadas, espalhando agrotóxicos, desmatando, contaminando rios e mananciais, matando animais, comendo carne, produzindo com esse comportamento, as energias deletérias, negativas com seus pensamentos e emoções, atrasando sua evolução e a do planeta.
Sem o Amor Incondicional, não há a consciência de grupo, que é ajudar uns aos outros a fazerem a reconexão espiritual e compartilhar a sabedoria recebida do Alto com todos que se aprontam para a evolução espiritual, sem pensar no retorno.
Os Sirianos vêm a Terra também como seres humanos com a forma física da Terra e somos bem semelhantes a eles. Eles são mais altos e tem cérebros maiores e mais desenvolvidos e seu tempo de vida é muito além do nosso na Terra. Eles têm grandes capacidades telepáticas e se comunicam telepaticamente com o chakra cardíaco, e por isso são muito amorosos. Muitos deles  vêm à Terra como “sementes estelares humanas” para contribuir com os humanos terrenos. Encarnam na Terra com um propósito específico de ajudar o planeta. Muitos vêm como Emissários da Luz por pertencerem à Federação Galática da Luz Soberana e terem escolhido tal missão, como aconteceu com outros irmãos galáticos, vindos de diferentes estrelas. Outros se oferecem ou são designados pela Mestria da Luz Divina para uma determinada missão como aconteceu a tantos outros. Foram os Mestres Sirianos que co-criaram, com outros Mestres Geneticistas de outros planetas, como os Arcturianos, os Pleiadianos, etc.,  o corpo carnal  que temos na Terra, porque há cerca de milhões de anos atrás, eles começaram a adicionar energia de seu próprio DNA ao material genético do Homo Sapiens. São Mestres da Luz, portanto Criadores amorosos.

São os Sirianos que estão na sua forma etérea que trabalham conosco, na nossa estrutura genética e para ativação de nosso cinco chakras interplanetários mais elevados que estiveram adormecidos.  O DNA humano receberá o seu complemento GNA e passaremos a ter as doze hélices ativas como dantes já na próxima existência. Com o trabalho que os Geneticistas Sirianos estão desempenhando geneticamente no óvulo e espermatozóide dos humanos terrenos, as crianças já estão nascendo com as doze hélices nos seus DNA’s e com a expansão de suas consciências..
São Criadores potencializados na Alta Frequência da Luz, da Grande Federação Galática da Luz Soberana.
A Terra já fez parte dessa Federação, mas devido a absurda manipulação genética que deu origem aos dinossauros, a Terra foi expulsa. Após as mudanças pela qual a Terra está passando, os Mestres Sirianos estão presentes por aqui como observadores, e com a ascensão, a Terra deverá voltar a pertencer à Federação Galática da Luz Soberana.
                                                                                    Informação consciente é Luz! 
Thunna Burnama (Thunkásilia Heháka Pha)